Busca avançada
Ano de início
Entree

Rastreamento de diversos tipos de imunodeficiência primária em pacientes com lupus eritematoso sistêmico

Processo: 09/06934-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2009
Vigência (Término): 31 de julho de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Luiz Eduardo Coelho Andrade
Beneficiário:Sandro Félix Perazzio
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Lúpus eritematoso sistêmico   Imunodeficiências primárias   Reumatologia

Resumo

Introdução: O lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma das doenças auto-imunes sistêmicas mais comuns, sendo considerada o protótipo de enfermidade auto-imune sistêmica. O início da doença e sua variação temporal em intensidade resultam de inúmeros fatores: hormônios, microrganismos, luz UV, estresse, dieta, genética, dentre outros. Em todos os casos, parece haver a participação de fatores endógenos e exógenos desencadeantes e a modulação pelo ambiente neuro-hormonal. Chama atenção a participação de genes que condicionam alguma forma de imunodeficiência primária (IDP) leve, como a deficiência de C2, C4, C1q e variantes hipomórficas de Fc³RIIa, Fc³RIIb, Fc³RIIIa e Fc³RIIIb, o que permite supor que uma parcela dos casos correlaciona-se à existência de alguma forma de IDP subjacente. A deficiência da lectina ligadora de manose (MBL) parece estar associada a maior suscetibilidade a doenças auto-imunes, segundo Mullighan e cols (2000). Winkelstein et al. (2000) levantaram 368 casos de Doença Granulomatosa Crônica e acharam 2,7% com lúpus discóide e 0,5% com LES, além de alguns casos nos parentes de primeiro grau dos pacientes. Recentemente, Cassidy et al (2007) detectaram uma freqüência de 5,2% de deficiência seletiva de IgA em LES juvenil e 2,6% em lúpicos adultos. Cerca de 25% dos pacientes com Imunodeficiência Comum Variável desenvolve alguma doença auto-imune, incluindo LES. Casos semelhantes ao LES em pacientes com Síndrome Auto-imune Linfoproliferativa (ALPS) foram descritos. Zonios et al (2008) encontraram 3 casos de LES em 39 pacientes com linfocitopenia CD4+ idiopática. Há alguns relatos de casos de LES em pacientes com síndrome Hiper-IgM.Objetivos: 1) Estimar a importância relativa da presença de imunodeficiência primária no LES mediante pesquisa de um conjunto de IDPs em uma série consecutiva de pacientes com LES e em uma amostra de controles hígidos. 2) Comparar as características clínicas dos pacientes lúpicos com e sem evidências de IDP.Materiais e métodos: Serão incluídos 300 pacientes com LES acompanhados no ambulatório de Doenças Reumáticas Auto-Imunes da UNIFESP e 300 controles pareados coletados de doadores de sangue. Todos serão submetidos a interrogatório e exame físico e terão uma amostra de sangue coletada para determinação de frações do Complemento e MBL, dosagens séricas de imunoglobulinas e subclasses de IgG, análise quantitativa da resposta de IgG após vacinação contra pneumococos e tétano e quantificação da explosão respiratória em neutrófilos. Aqueles que apresentarem alguma alteração de algum exame serão submetidos a uma nova coleta sanguínea após 60 dias para confirmação do resultado. Caso esteja em atividade da doença, será acompanhado e submetido a novos exames após o final do surto ou excluído se mantiver atividade até fevereiro de 2011. Os resultados serão apresentados descritivamente sob forma de tabelas e gráficos. A análise estatística para variáveis contínuas será feita com o teste t de Student e para as qualitativas com o Chi-quadrado, por meio do software SPSS.