Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo das respostas contráteis do cólon de camundongos infectados com formas tripomastigotas sanguíneos da cepa QM2 de Trypanosoma Cruzi

Processo: 11/23378-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2012
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Luciamare Perinetti Alves Martins
Beneficiário:Luiz Gonzaga Francisco de Assis Barros D'Elia Zanella
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Marília (FAMEMA). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). Marília , SP, Brasil
Assunto(s):Trypanosoma cruzi   Acetilcolina   Noradrenalina   Cólon   Acetilcolinesterase

Resumo

A doença de Chagas é considerada um grande problema de saúde pública na América Latina, mais especificamente em seus países continentais. Estima-se que existam entre 12 a 14 milhões de indivíduos infectados pelo Trypanosoma cruzi em 19 países americanos de colonização Ibérica, embora casos esporádicos de transmissão natural tenham sido relatados nos Estados Unidos. Atualmente, a prevenção tem assumido um importante papel no controle da doença, pois o tratamento ainda é um grande desafio, uma vez que o emprego de agentes quimioterápicos tem-se mostrado ineficaz na maioria dos casos. Na doença de Chagas, o órgão afetado com maior freqüência é o coração, no entanto, o esôfago e o cólon também podem ser lesados, comprometendo a qualidade de vida dos indivíduos infectados. No esôfago e no cólon, o processo inflamatório provoca uma redução quantitativa dos neurônios dos plexos nervosos intramurais, levando a dilatação e alongamento dos mesmos causando megaesôfago e megacólon, respectivamente. Dentre as muitas cepas de T. cruzi existentes, algumas parecem ter predileção por tecidos específicos, como é o caso da cepa QM2, que além do coração, é capaz de provocar inflamação crônica no plexo mioentérico com discreto processo inflamatório mural na fase crônica da doença. Algumas pesquisas mostraram uma relação entre infecção por T. cruzi e aumento nos níveis de acetilcolinesterase no soro de camundongos, em resposta ao processo infeccioso, que pode estar relacionada com o os sinais e sintomas dos "megas", já que a acetilcolina parece atuar sobre o cofator de transcrição NF-kB. Até o momento inúmeros trabalhos foram realizados, todavia, a fisiopatologia da doença de Chagas ainda não está totalmente esclarecida. Desta forma, este estudo, pretende contribuir na busca de novos entendimentos sobre a patologia chagásica.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CAMPELLO, A. C.; ZANELLA, L. G. F. A. B. D. E.; SUZUKI, R. B.; TOKUMO, M. O.; CHAGAS, E. F. B.; BALEOTTI, W.; SPERANCA, M. A.; MARTINS, L. P. A. Correlation of plasma butyrylcholinesterase concentration with Acethylcholinesterase H353N polymorphism in the inflammatory response of Chagas disease patients. Parasitology International, v. 76, JUN 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.