Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da susceptibilidade de Streptococcus spp. orais à marcação pelo sistema complemento

Processo: 13/07098-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2013
Vigência (Término): 31 de julho de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Renata de Oliveira Mattos Graner
Beneficiário:Thaís Rodrigues de Carli
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Imunologia   Sistema do complemento   Bacteremia

Resumo

Bactérias comensais estão em estreita relação com seu hospedeiro, mas sob condiçõesespecíficas, podem superar as defesas imunológicas e causar infecções. A cavidade oral representa um dos locais do corpo humano com maior carga e diversidade de microrganismos, sendo que os tecidos bucais encontram-se em íntimo contato com o sistema circulatório. O potencial de virulência dos seus diversos microrganismos é em parte, determinado pela sua capacidade em resistir a componentes de defesa do hospedeiro. Há evidências que as espécies de Streptococcus predominantes da microbiota oral, ao obter acesso à corrente sanguínea,podem causar doenças sistêmicas em pessoas sadias e imunocomprometidas. Espécies de Streptococcus expressam proteínas de parede implicadas no escape a componentes da imunidade inata, como o sistema complemento, essencial na opsonização e resposta inflamatória a microrganismos no sangue e tecidos. Pouco se sabe, entretanto, sobre os mecanismos de escape ao sistema imune entre estreptococos orais. Recentemente, verificamos que a espécie oral Streptococcus mutans é capaz de escapar da fagocitose por neutrófilos em sangue humano, se dois de seus sistemas reguladores de transcrição gênica forem inativados, os Sistemas de Dois Componentes (SDC) VicRK e CovR (Negrini et al., 2012). Os SDC VicRK e CovR regulam a expressão de diversos genes que codificam proteínas implicadas na biossíntese da parede celular (Stipp et al., 2013) e nossa hipótese é que alguns destes genes estejam implicadas no escape à opsonização pelo complemento. Proteínas de biogênese celular têm sido caracterizadas pelo nosso grupo de pesquisa entre isolados de sangue e cavidade oral das principais espécies orais de Streptococcus, as quais incluem Streptococcus mitis, Streptococcus oralis, Streptococcus gordonii e Streptococcus sanguinis isoladas pelo grupo liderado pelo Dr. Mogens Kilian da Universidade de Aarthus, Dinamarca (Proc. 2009/50547-0). Trabalhamos com a hipótese de que cepas com maior capacidade de escapar à marcação pelo sistema complemento sejam mais hábeis a invadir e sobreviver na corrente sanguínea e, portanto, causar infecções. O objetivo deste trabalho é comparar a eficiência da marcação pelo sistema complemento entre isolados de sangue ou da cavidade oral de humanos das espécies predominantes da microbiota oral Streptococcus mitis, Streptococcus oralis, Streptococcu gordonii e Streptococcus sanguinis.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ALVES, LIVIA A.; DE CARLI, THAIS R.; HARTH-CHU, ERIKA N.; MARIANO, FLAVIA S.; HOFLING, JOSE F.; STIPP, RAFAEL N.; MATTOS-GRANER, RENATA O. Oral streptococci show diversity in resistance to complement immunity. Journal of Medical Microbiology, v. 68, n. 4, p. 600-608, APR 2019. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.