Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do diabetes do tipo 1 na reprogramação fetal com enfoque na matriz extracelular glomerular em modelo de camundongos

Processo: 15/03525-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2015
Vigência (Término): 30 de novembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Embriologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Telma Maria Tenório Zorn
Beneficiário:Mychel Raony Paiva Teixeira Morais
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):17/26785-5 - Análise global da matriz extracelular glomerular enriquecida de fetos pré-termo de mães normoglicêmicas e hiperglicêmicas usando espectrometria de massas aplicada à análise proteômica, BE.EP.DR
Assunto(s):Matriz extracelular   Membrana basal glomerular

Resumo

Nos últimos anos, o Laboratório de Biologia da Reprodução e Matriz Extracelular tem focado seus estudos no processo complexo de remodelação da matriz extracelular (MEC) uterina durante o ciclo estral e desenvolvimento da decídua em roedores. Por meio de muitos estudos morfológicos e abordagens moleculares, nosso grupo demonstrou que este processo de remodelação abrange uma série de adaptações celulares e moleculares da MEC que conduz ao estabelecimento da interface materno-fetal e influencia todo o ambiente uterino. Recentemente, nosso grupo desenvolveu um modelo de gestação complicada por diabetes mellitus do tipo 1 (DM1) de longo prazo em camundongos. Por meio desse modelo demonstramos que a MEC uterina e placentária sofrem grandes alterações em sua composição molecular e organização estrutural, que comprometem o estabelecimento da gravidez e a taxa de implantação embrionária. Estudos mostram que a exposição à hiperglicemia materna durante o desenvolvimento intrauterino pode prejudicar a diferenciação embrionária inicial e organogênese. Este desenvolvimento anormal predispõe a prole de mães diabéticas à manifestação de várias doenças crônicas durante a vida adulta, como a hipertensão e insuficiência renal, devido a defeitos estruturais no órgão e consequentes falhas na função vascular e renal. Este fenômeno é conhecido como reprogramação fetal. Neste contexto, a nossa hipótese é a de que o metabolismo materno anormal pode promover uma reprogramação do desenvolvimento glomerular, devido a alterações na síntese, deposição e degradação de macromoléculas da MEC induzidas pela hiperglicemia, com potencial para comprometer a função renal. Assim, o objetivo deste projeto é analisar os efeitos da DM1 materna sobre o padrão de composição e organização das principais moléculas de colágeno e proteoglicanos da MEC glomerular, usando nosso modelo de gestação complicada por DM1 em camundongos. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
NAYLOR, RICHARD W.; MORAIS, MYCHEL R. P. T.; LENNON, RACHEL. Complexities of the glomerular basement membrane. NATURE REVIEWS NEPHROLOGY, v. 17, n. 2 AUG 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.