Busca avançada
Ano de início
Entree

Regulação epigenética: avaliação de miRNAs como potenciais alvos terapêuticos na doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA) em camundongos obesos tratados com Camellia sinensis

Processo: 15/21785-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2016
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Rosemari Otton
Beneficiário:Letícia Torres Ferreira
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa. Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Polifenóis   Resistência à insulina   Inflamação   Hepatopatia gordurosa não alcoólica   MicroRNAs

Resumo

O crescimento alarmante da obesidade tornou-se mundialmente um desafio para a saúde pública. As proporções epidêmicas da prevalência da obesidade estimularam o interesse científico na sua etiologia e na busca por intervenções terapêuticas capazes de prevenir as comorbidades associadas a ela. A doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA) compreende um espectro de distúrbios hepáticos progressivos que estão intimamente relacionadas com a obesidade, o diabetes e a resistência à insulina. Neste sentido, muitos pesquisadores procuram encontrar compostos bioativos oriundos de plantas medicinais capazes de tratar e prevenir o desenvolvimento de esteatose hepática ou a sua progressão para esteato-hepatite não alcoólica. Dentre elas, a planta Camellia sinensis, da qual se obtém o chá verde, largamente consumido em diferentes partes do mundo. O conteúdo de polifenóis desta planta confere diversos efeitos benéficos à saúde. No entanto, os mecanismos moleculares por trás destes efeitos do chá verde permanecem parcialmente conhecidos. Recentemente ficou claro que os polifenóis podem interagir com vias de sinalização celular, modulando a atividade de fatores de transcrição e consequentemente a expressão de genes, sugerindo que estes alvos celulares e moleculares representam o mecanismo de ação subjacente aos efeitos benéficos dos polifenóis. Estudos recentes tem demonstrado a capacidade de regulação gênica pós-transcricional dos polifenóis via modulação da expressão de microRNAs (miRNAs). Os polifenóis são capazes de regular a expressão de uma variedade de miRNAs envolvidos em processos associados a patogênese da DHGNA. Este projeto está associado ao Projeto FAPESP número 2013/22293-0, que visa identificar perfis específicos de miRNAs no fígado de camundongos obesos suplementados com extrato de chá verde utilizando a tecnologia de miRNA qPCR array. No presente projeto temos por objetivo avaliar a expressão específica de miRNAs associados com DHGNA no fígado de animais obesos e obesos tratados com chá verde a partir dos dados obtidos com o miRNA qPCR array. Pretendemos identificar os três miRNAs mais alterados e correlacioná-los com a DHGNA identificando os genes-alvo desses miRNAs, validando os genes em experimentos in vivo e avaliando as principais vias moduladas pelos miRNAs através de expressão gênica e proteica. Desta forma os diversos efeitos benéficos à saúde provenientes do consumo regular de chá verde já demonstrados, em conjunto com essas avaliações, podem abrir novas perspectivas no tratamento da obesidade e da DHGNA através da regulação epigenética, tendo os miRNAs como potenciais alvos do mecanismo de ação dos polifenóis. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.