Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso de lipossomos e RNA autorreplicativo como vacina contra antígeno PfRH5 de Plasmodium Falciparum e desenvolvimento de técnicas para lipossomos direcionáveis

Processo: 16/19145-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2017
Vigência (Término): 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Gerhard Wunderlich
Beneficiário:Wesley Luzetti Fotoran
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil

Resumo

Uma alternativa a vacinas fabricadas de organismos inativados ou atenuados ou de proteínas recombinantes é o uso de DNA que codifica antígenos alvo. O uso de vacinas de DNA e entrega de fármacos em órgãos/tecidos específicos sofre dois grandes problemas: 1-Ineficácia das quantidades necessárias de DNA para evocar respostas imunes contra alvos vacinais, bem como possível efeito colateral permanentes causados pelo uso de DNAs plasmidiais; 2-Barreiras fisiológicas tal como a hematoencefálica e ligantes específicos que permitam o acesso de agentes agentes terapêuticos à tecidos nervosos. Dentre as diversas propostas biotecnológicas para resolução desses problemas estão:1- O uso de RNA auto replicativo no lugar de DNA plasmodial. 2-O uso de nano estruturas lipossomas que estabilizem essas moléculas até que atinjam seu local de ação, ampliando sua eficácia. 3- O direcionamento dessas nano estruturas por anticorpos viabilizam entrega em células e tecidos específicos a fim de passar barreiras fisiológicas, como por exemplo a barreira hematoencefálica. Nesse projeto propomos a utilização de lipossomos catiônicos com a internalização de RNA autrreplicativo que produza efeitos imunológicos contra antígeno malárico denominado PfRH5, atualmente um dos mais promissores candidatos a vacina contra P. falicparum. Além do uso de lipossomos catiônicos, propomos a utilização em paralelo de lipossomos carregando agentes terapêuticos para tecidos de difícil acesso, tal como tecidos cerebrais, para o desenvolvimento em paralelo de sistemas direcionáveis com amplos usos e aplicações imuno-farmacológicas. Até o presente momento nenhum grupo no pais tem desenvolvido metodologia com RNAs replicativos. Ainda, o sucesso individual de cada abordagem, com possível integração entre as mesmas, apresenta a possibilidade de uma abertura original em linhas de pesquisas no âmbito técnico-cientifico nacional.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.