Busca avançada
Ano de início
Entree

Obtenção e caracterização de peptídeos com atividade de neuroproteção

Processo: 17/16977-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2018
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Maria Teresa Bertoldo Pacheco
Beneficiário:Maria Elisa Caetano Silva Abreu
Instituição-sede: Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/17269-9 - Estudo da atividade de peptídeos de soro de leite na inibição da ativação da microglia em modelo de cultura celular, BE.EP.PD
Assunto(s):Doença de Alzheimer   Hidrolisados de proteína   Microglia

Resumo

A Doença de Alzheimer (DA) é uma neuropatologia progressiva e irreversível, que tem afetado cada vez mais pessoas, especialmente maiores de 65 anos. A progressão da doença resulta da agregação de peptídeos ²-amiloide, sua disposição em fibrilas e a consequente formação de placas senis. Paralelamente, pode ocorrer a ativação das células imunes residentes do sistema nervoso central (micróglia), com a liberação de citocinas inflamatórias. Desse modo, nos últimos anos, muitos estudos têm sido direcionados a novos agentes antifibrilas e antiinflamatórios para aplicações terapêuticas. Ao conhecimento atual, alguns íons metálicos, tais como cobre, ferro e zinco, são considerados desencadeadores da agregação de peptídeos ²-amiloide. Portanto, nossa hipótese é de que agentes quelantes de minerais, como peptídeos bioativos de origem alimentar, podem promover a redução da formação de fibrilas, assim como atuar na inibição da neuroinflamação. O objetivo do presente trabalho é obter e caracterizar novos peptídeos de proteínas do soro de leite com atividade de neuroproteção, atuando em fatores fortemente relacionados à instalação e desenvolvimento da DA. Para tal, serão avaliados os peptídeos provenientes das proteínas do soro de leite bovino . Isolado proteico de soro de leite (IPS) será hidrolisado com Alcalase e ultrafiltrado para obtenção de peptídeos de baixa massa molecular (MM < 5 kDa). Os peptídeos com capacidade quelante dos metais Cu, Fe ou Zn serão isolados por cromatografia de afinidade a íons metálicos (IMAC), em sistema FPLC, e sequenciados por espectrometria de massas (MALDI-TOF/TOF). Os peptídeos serão avaliados por ensaios in vitro de inibição da agregação do peptídeo ß-amiloide, na presença ou ausência de metais, e ensaios de ativação da micróglia em modelo de cultura celular. Os peptídeos também serão avaliados quanto às atividades antioxidante (ORAC e proteção ao DNA) e anticolinesterásica, relacionadas à redução do estresse oxidativo e à diminuição da degradação do neurotransmissor acetilcolina, respectivamente. Os peptídeos que apresentarem resultados positivos poderão ser sintetizados e avaliados quanto ao seu potencial de neuroproteção utilizando-se as mesmas técnicas descritas. Este projeto propõe-se a identificar bioatividades ainda não estudadas para peptídeos do soro de leite, fornecendo subsídio para estudos futuros no tratamento de doenças neurodegenerativas com peptídeos de origem alimentar.