Busca avançada
Ano de início
Entree

Práticas alimentares e a dimensão afetiva: comparações entre alimentos com diferentes níveis de processamentos

Processo: 19/23399-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 30 de novembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Pesquisador responsável:Priscila de Morais Sato
Beneficiário:Rafaela do Manco Machado
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/00270-6 - Estudo MINA - materno-infantil no Acre: coorte de nascimentos da Amazônia Ocidental Brasileira, AP.TEM
Assunto(s):Saúde materno-infantil   Alimentos processados   Hábitos alimentares   Mães   Afetividade   Análise de conteúdo   Entrevistas (psicologia)   Delineamento experimental

Resumo

A alimentação é um objeto complexo, permeado por significados e valores simbólicos. Assim, o processo de se alimentar é também permeado pelo campo sensitivo, relacionando-se com afetos, sentimentos, emoções e memórias. O atual Guia Alimentar para a População brasileira, lançado em 2014, aponta que os alimentos ultraprocessados interferem nas práticas alimentares e chama a atenção para a importância das diferentes dimensões que perpassam uma alimentação saudável, dentre estas, a afetiva. Contudo, há ainda uma escassez de trabalhos que se dedicaram a investigar os afetos que perpassam o campo sensitivo de comer alimentos ultraprocessados. Deste modo, o presente projeto de iniciação científica, tem como objetivo explorar como as práticas alimentares interagem com sentimentos, emoções e memórias entre mulheres de Cruzeiro do Sul, Acre, com especial atenção às comidas regionais, in natura e preparações culinárias, e aos alimentos ultraprocessados. O presente trabalho possui delineamento qualitativo, e faz parte de um projeto longitudinal em andamento, denominado "Estudo MINA - Materno-Infantil no Acre: coorte de nascimentos da Amazônia ocidental brasileira". O método de produção de dados é a entrevista semiestruturada em profundidade, as quais serão transcritas em sua integridade para a análise dos dados a partir da análise de conteúdo. A análise será realizada por meio das etapas de pré-análise, exploração do material, elaboração de um codebook e codificação dos materiais, com ajuda do software MAXQDA. Realizadas essas etapas, a interpretação dos dados possibilitará o desenvolvimento de conclusões que irão auxiliar na compreensão de como sentimentos, emoções e memórias se relacionam com as práticas alimentares e escolhas de alimentos, podendo ter relações com condicionantes sociais de saúde e nutrição materno-infantil. (AU)