Busca avançada
Ano de início
Entree

Atividade anti-helmíntica in vitro do praziquantel e ácido mefenâmico nanocarreados

Processo: 19/25289-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Helmintologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Josué de Moraes
Beneficiário:Vinícius de Castro Rodrigues
Instituição-sede: Universidade Universus Veritas Guarulhos (Univeritas UNG). Guarulhos , SP, Brasil
Assunto(s):Helmintologia   Doenças negligenciadas   Reposicionamento de fármacos   Anti-helmínticos   Nanoemulsão   Helminthes   Ácido mefenâmico   Praziquantel   Seletividade   Técnicas in vitro

Resumo

As doenças causadas por helmintos representam um importante problema de Saúde Pública em dezenas de países, especialmente em famílias de baixa renda. Consideradas "Doenças Negligenciadas", as helmintíases não só prevalecem em condições de pobreza, mas também representam forte entrave ao desenvolvimento dos países e são determinantes na manutenção do quadro de desigualdade. Infelizmente, as opções terapêuticas são insuficientes, cujo cenário é agravado pelo descaso da indústria farmacêutica no desenvolvimento de novos medicamentos para um público com baixo poder de compra. Considerando que a busca por novos fármacos é um processo longo e dispendioso, o "reposicionamento de fármacos" é uma estratégia promissora. Deveras, baseado em novos usos para medicamentos já existentes, o reposicionamento de fármacos é uma abordagem que torna uma situação vantajosa por reduzir o tempo e custo da pesquisa. Nesse contexto, estudos recentes do nosso grupo (Auxílio FAPESP #2016/22488-3) demonstraram que alguns fármacos usados em outras patologias também possuem ação antiparasitária em Schistosoma mansoni, o verme responsável pela esquistossomose. Ademais, recente parceria entre pesquisadores de São Paulo e Distrito Federal (Acordo de Cooperação FAPDF/FAPESP #2019/23504-0, em fase de análise) tem como intento o desenvolvimento de formulações, de baixo custo, em forma de dispersão de nanoemulsões que carreiem os fármacos que previamente apresentaram propriedades anti-helmíntica em S. mansoni. Nessa conjuntura, o desígnio do presente projeto é avaliar, in vitro, a viabilidade de Schistosoma mansoni em presença de dois fármacos previamente nanocarreados: praziquantel e ácido mefenâmico. A avaliação da toxicidade em células de mamífero e a determinação do índice de seletividade também estão no escopo da proposta.