Busca avançada
Ano de início
Entree

Mecanismos biológicos que envolvem a associação entre ganho de peso e tratamento com antipsicótico em pacientes com psicose e modelo animal de psicose

Processo: 22/15283-7
Modalidade de apoio:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 09 de maio de 2023
Vigência (Término): 08 de maio de 2024
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Cristina Marta Del-Ben
Beneficiário:Camila Marcelino Loureiro
Supervisor: Gavin Paul Reynolds
Instituição Sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa: Sheffield Hallam University, Inglaterra  
Vinculado à bolsa:20/15752-1 - Uso de cannabis, trauma na infância e variantes endocanabinóides e glutamatérgicas: risco de psicose, BP.PD
Assunto(s):Neurociências   Transtornos psicóticos   Antipsicóticos   Metilação de DNA   Ganho de peso
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Animal Model | Antipsychotics | DNA methylation | First-episode psychosis | Neurociências

Resumo

O ganho de peso é uma questão crítica em pacientes com psicose, principalmente associada ao tratamento com antipsicótico. Modelos pré-clínicos mostraram que o tratamento com antipsicótico induz ganho de peso, fornecendo evidências para os efeitos colaterais metabólicos dos antipsicóticos. No entanto, não está claro se o rápido ganho de peso observado na maioria dos pacientes em uso de antipsicóticos recém-iniciados é determinado por fatores epigenéticos, pois não há ferramenta validada para prever o risco de ganho de peso na psicose. Nosso objetivo é explorar os biomarcadores epigenéticos de seis genes candidatos associados ao ganho de peso (receptor adrenoceptor alfa-2A: ADRA2A, receptor canabinóide 1: CNR1, receptor 2C de serotonina: HTR2C, gene 2 induzido por insulina: INSIG2, leptina: LEP e melanocortina -4 Receptor: MC4R) em pacientes psicóticos em tratamento farmacológico. Usando um modelo de ganho de peso induzido por olanzapina em rato, propomos quantificar alterações equivalentes de metilação de DNA em amostras de cérebro e sangue nos mesmos seis genes propostos acima, bem como peptídeos hipotalâmicos. Incluiremos informações de DNA do sangue periférico provenientes de um estudo retrospectivo com amostras de pacientes de primeiro episódio de psicose (PEP) (n=60), e um estudo prospectivo composto por pacientes em estágios iniciais de psicose (n=50), ambos recrutados da região de Ribeirão Preto, acompanhados por doze e seis meses, retrospectivamente. Os dados sociodemográficos, clínicos e metabólicos serão revisados a partir de prontuários e instrumentos padronizados. Também incluiremos dois grupos de 12 ratas da linhagem Hooded Lister dosadas com veículo ou olanzapina. O efeito sobre o peso corporal será avaliado após a administração diária do medicamento durante 10 dias. Para humanos e roedores, a metilação do DNA será analisada por pirosequenciamento. Os dados estatísticos serão analisados por meio de modelos de regressão logística/linear. Em humanos, as alterações na metilação do DNA em genes selecionados podem revelar uma relação entre ganho de peso e tratamento com antipsicótico na psicose. Em roedores, nossa hipótese é testar se os marcadores epigenéticos e hipotalâmicos alterados serão equivalentes às alterações observadas em humanos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)