Busca avançada
Ano de início
Entree


Estudos estruturais e bioquímicos das septinas humanas bradeiona alfa e beta: moléculas relacionadas com o desenvolvimento de câncer do cólon, reto e melanoma maligno

Texto completo
Autor(es):
Silva, Wânius José Garcia da
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Carlos. [2005]. 136 f.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Física de São Carlos
Data de defesa:
Membros da banca:
Garratt, Richard Charles; Costa Filho, Antônio José da; Carrilho, Emanuel; Franco, Glória Regina; Araujo, Heloisa Sobreiro Selistre de
Orientador: Garrat, Richard Charles
Área do conhecimento: Ciências Biológicas - Biofísica
Indexada em: Banco de Dados Bibliográficos da USP-DEDALUS
Localização: Universidade de São Paulo. Biblioteca do Instituto de Física de São Carlos; IFSC-F/Te1685
Resumo

Septinas constituem uma família de proteínas de ligação a GTP que foram inicialmente identificadas em levedura Saccharomyces cerevisiae, mas também estão presentes em outros eucariotos com exceção de plantas. Septinas são purificadas de leveduras, Drosophi/a e cérebros de mamíferos na forma de filamentos, porém o mecanismo através do qual acorre à formação destes filamentos ainda não é muito bem compreendido. Septinas são constituídas de três regiões principais: um N-terminal variável, um domínio central GTPase altamente conservado e um domínio coiled-coil C-terminal. O gene SEPT4 foi identificado por M. Tanaka e colaboradores a partir do cDNA de cérebro humano e apresentou duas distintas transcrições: Bradeiona 'ALFA' e 'BETA'. Interessantemente, além de cérebro e coração, as proteínas Bradeiona 'ALFA' e 'BETA' são detectadas somente em câncer do cólon, reto, próstata e melanoma maligno. Neste trabalho, o gene da proteína Bradeiona'ALFA' e 'BETA' foi subclonado em um vetor de expressão bacteriano, produzido em E. coli e purificado com sucesso. O espectro de dicroísmo circular (CD) mostrou o perfil característico de proteínas com hélices 'ALFA' na estrutura secundária. Resultados de cromatografia de exclusão molecular (SEC) e espalhamento dinâmico de luz (DLS) indicam que a septina Bradeina 'BETA' foi produzida na forma de um estável oligômero com características monodispersivas, que foi subsequentemente cristalizado em PEG6000. A atividade GTPase da Bradeiona 'BETA' foi comprovada através da técnica de eletroforese capilar (CE), mostrando-se absolutamente dependente de íons 'Mg POT.2+'. Inibição da atividade GTPase foi verificada em altas concentrações de 'Mg POT.2+'(maiores que 5 mM). Com a finalidade de caracterizar os domínios preditos da Bradeiona 'BETA'(Fragmento Conservado e domínio GTPase), essas regiões foram previamente definidas, expressas em E.coli e purificadas com sucesso.Resultados de CD, SEC, espectroscopia de fluorescência e NMR-600:MHz indicam que o FC foi produzido na forma de um estável monômero com pouca estrutura secundária regular. Resultados de DLS e CD indicam que a fusão 6xHis-DGTPase foi produzida na forma de um oligômero com a presença de hélices 'ALFA' na estrutura secundária. A fusão 6xHis-DGTPase mostrou-se instável a altas concentrações na ausência de imidazol... (AU)

Processo FAPESP: 01/00777-8 - Estudos estruturas DS proteínas bradeiona-alfa e beta: moléculas relacionadas com o desenvolvimento do câncer do cólon, reto e melanoma maligno
Beneficiário:Wanius José Garcia da Silva
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado