Busca avançada
Ano de início
Entree


Estresse oxidativo e sinalização pelas vias MAPK e NF-кB no músculo sóleo de ratos com insuficiência cardíaca crônica

Texto completo
Autor(es):
Paula Felippe Martinez
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: Botucatu. 88 f.
Instituição: Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Medicina.
Data de defesa:
Membros da banca:
Patrícia Chakur Brum; Carlos Vicente Serrano Júnior; Luiz Shiguero Matsubara; Leonardo Antônio Mamede Zornoff
Orientador: Marina Politi Okoshi
Resumo

A insuficiência cardíaca caracteriza-se por intolerância aos exercícios físicos com o aparecimento precoce de fadiga e dispneia. Anormalidades intrínsecas da musculatura têm sido frequentemente descritas em músculos esqueléticos durante a insuficiência cardíaca e implicadas na fisiopatogenia dos sintomas. Os fatores responsáveis pelas alterações da musculatura esquelética na insuficiência cardíaca ainda não estão completamente definidos. Há substancial evidência que o estresse oxidativo está aumentado na insuficiência cardíaca e que possa estar envolvido nas alterações musculares. Entretanto, as fontes de geração de espécies reativas de oxigênio (EROs) na musculatura esquelética e suas vias de sinalização intracelular durante a insuficiência cardíaca ainda não estão completamente esclarecidas. Há poucos trabalhos sobre o complexo NADPH oxidase, importante fonte geradora de EROs, na insuficiência cardíaca. Estudos realizados em diversos modelos experimentais sugerem que as vias das proteínas quinases ativadas por mitógeno (MAPKs) e do fator nuclear-κB (NF-κB) possam estar envolvidas nos mecanismos de resposta ao estresse oxidativo. O objetivo deste estudo foi verificar a participação das vias das MAPK e do NF-κB na resposta muscular ao estresse oxidativo em ratos com insuficiência cardíaca crônica induzida por infarto do miocárdio (IM). IM foi induzido por oclusão da artéria coronária esquerda. Quatro meses após a cirurgia, foram constituídos três grupos de animais: sham (n=24), IM-C (sem tratamento, n=24) e IM-NAC (IM tratado com o antioxidante N-acetilcisteína, 120 mg/kg/dia, n=24). Seis meses após a cirurgia, os animais foram submetidos a avaliação ecocardiográfica e, posteriormente, eutanasiados. O tamanho do IM foi avaliado por análise histológica; animais... (AU)

Processo FAPESP: 07/59500-1 - Participacao do estresse oxidativo na modulacao dos fatores de regulacao miogenica na musculatura esqueletica de ratos com insuficiencia cardiaca cronica.
Beneficiário:Paula Felippe Martinez
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado