Busca avançada
Ano de início
Entree

Ensaios com citrandarins como porta-enxertos para as laranjas Pera e Valência e a lima ácida Tahiti

Processo: 18/00133-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2018 - 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Mariângela Cristofani-Yaly
Beneficiário:Mariângela Cristofani-Yaly
Instituição-sede: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:Eduardo Sanches Stuchi ; Evandro Henrique Schinor ; Fernando Alves de Azevedo ; Graciela da Rocha Sobierajski ; Maria Teresa Vilela Nogueira Abdo ; Patrícia Marluci da Conceição
Bolsa(s) vinculada(s):18/15044-7 - Desenvolvimento vegetativo, produção de frutos e qualidade da fruta de laranjas Pera e Valência e a lima ácida Tahiti sobre diversos citrandarins, BP.TT
Assunto(s):Melhoramento genético  Espaçamento  Pós-colheita 

Resumo

Atualmente, a maior parte das plantas cítricas brasileiras está sobre somente dois porta-enxertos, o citrumelo Swingle e o limão Cravo, o que, consequentemente, pode colocar em risco a citricultura brasileira. A utilização de outros porta-enxertos, como o Poncirus trifoliata é limitada, devido à ocorrência de incompatibilidade entre seleções deste porta-enxerto e a laranja Pêra e a sua suscetibilidade à seca. Portanto, os citrandarins, híbridos de tangerina Sunki com Poncirus trifoliata, constituem em uma nova geração de porta-enxertos, podendo vir a ser uma alternativa para ampliar o número de porta-enxertos passíveis de serem enxertados com a laranja Pêra, possibilitando a formação de plantas produtivas e longevas com frutos de alta qualidade. O Instituto Agronômico (IAC), através do Centro APTA Citros Sylvio Moreira, tem sido o responsável pela seleção e aperfeiçoamento (via produção de clones nucelares e premunização contra o vírus da tristeza dos citros, CTV) de grande parte das cultivares utilizadas na citricultura brasileira.Para atingir esse objetivo os pesquisadores vêm constantemente avaliando os acessos contidos em seu Banco Ativo de Germoplasma de Citros, iniciado em 1928, e que tem sido ampliado com germoplasmas introduzidos de outros estados e do exterior e, atualmente, conta com cerca de 2.000 acessos.O IAC vem também realizando, desde a década de 1990, um programa de melhoramento genético de citros via cruzamentos dirigidos. Populações de híbridos obtidas a partir de cruzamentos entre diversas variedades de citros, selecionadas por marcadores moleculares, foram estabelecidas em várias regiões do estado de São Paulo, constituindo-se em uma rede experimental de novos genótipos. A partir destes experimentos, foram selecionados híbridos com grande potencial para serem utilizados como porta-enxertos. Frente ao exposto acima, a presente proposta possui como principal objetivo, a avaliação de variedades e híbridos (citrandarins) de porta-enxertos de citros para resistência à seca, compatibilidade entre copa e porta-enxertos, desenvolvimento vegetativo, produção e qualidade físico-química de frutos em diferentes condições edafoclimáticas e de espaçamento no plantio, como porta-enxertos para as laranjas Pêra e Valência e a lima ácida Tahiti, em ensaios de competição com variedades comerciais, visando à avaliação final para lançamento de novas variedades de porta-enxertos para a citricultura. Todas as variedades e híbridos pré-selecionados são resultados de projetos anteriores e a presente proposta visa à continuidade do programa de melhoramento de porta-enxertos para citros que vem tendo apoio da FAPESP, CNPq e INCT. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PETRY, FABIANE C.; DE NADAI, FABIO B.; CRISTOFANI-YALY, MARIANGELA; LATADO, RODRIGO R.; MERCADANTE, ADRIANA Z. Carotenoid biosynthesis and quality characteristics of new hybrids between tangor (Citrus reticulata x C. sinensis) cv. `Murcott' and sweet orange (C. sinensis) cv. `Pera'. Food Research International, v. 122, p. 461-470, AUG 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.