Busca avançada
Ano de início
Entree

Vesicles from different Trypanosoma cruzi strains trigger differential innate and chronic immune responses

Processo: 15/25027-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de março de 2016 - 31 de agosto de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Ana Claudia Trocoli Torrecilhas
Beneficiário:Ana Claudia Trocoli Torrecilhas
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Assunto(s):Imunologia  Resposta imune  Citocinas  Protozoa  Trypanosoma cruzi  Vesículas extracelulares  Publicações de divulgação científica  Artigo científico 

Resumo

As formas tripomastigotas do Trypanosoma cruzi, agente causador da doença de Chagas, liberam vesículas extracelulares (EVS) que expressam na sua superfície gp85/trans-sialidase (TS) da superfamília, epítopos de alpha-gal (Gal-alpha) e as mucinas. As vesículas purificadas das cepas Y, Colombiana, CL-14 e YuYu foram quantificados de acordo com o tamanho, intensidade e concentração. Inicialmente, foram encontradas diferenças nas concentrações de proteína e dos epítopos de alfa-gal. As EVs isoladas das cepas YuYu e CL-14 induzem a produção de TNF-alfa, IL-6 e óxido nítrico (NO) através da ativação via TLR2. Nós não observamos diferenças na ativação da sinalização das MAPKs (p38, JNK e ERK 1/2) após a estimulação das EVs das distintas cepas do T. cruzi. Nas culturas de células esplênicas derivadas de animais crônicos (infectados) as EVs isoladas da cepa Colombiana foram mais inflamatórias. Em seguida, foram testadas a expressão de citocinas intracelulares após exposição in vitro com as EVs isoladas das cepas YuYu e Colombiana. As EVs induzem a produção de IL-10, e observou-se uma elevada frequência de IL-10 nos linfócitos CD4 + e CD8 +, e nas células dendríticas produzem TNF-alfa. As distintas vesículas possuem variações na composição que podem ser determinante nos eventos imunopatológicos, não apenas nas etapas iniciais da infecção, como na fase crônica da infecção pelo T. cruzi. (AU)