Busca avançada
Ano de início
Entree

Vias de sinalização envolvidas na interação de Trypanosoma Cruzi com matriz extracelular proveniente de diferentes linhagens celulares

Processo: 17/19854-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2017 - 30 de novembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Bioquímica de Microorganismos
Pesquisador responsável:Maria Julia Manso Alves
Beneficiário:Maria Julia Manso Alves
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Walter Colli
Auxílios(s) vinculado(s):19/02990-4 - Reprogramação do metabolismo de Trypanosoma Cruzi resultante da incubação do parasita com a matriz extracelular do hospedeiro, PUB.ART
Assunto(s):Matriz extracelular  Transdução de sinais 

Resumo

Nosso grupo mostrou que a adesão de formas tripomastigotas de Trypanosoma cruzi à matriz extracelular (ECM), etapa importante na invasão da célula hospedeira pelo parasita, leva a modificações pós-traducionais de proteínas do parasita. Os dados de estudos proteômicos confirmaram a fosforilação ou a S-nitrosilação de proteínas de vias metabólicas, citoesqueleto, fosfatases, quinases, e proteínas ribossomais em formas tripomastigotas incubadas com ECM comercial. Os dados apontam para o papel de diferentes quinases no processo de adesão à ECM, de aumento de síntese de algumas proteínas como, por exemplo, as da família gp85/transialidase envolvidas na invasão do parasita e de redução de enzimas da via glicolítica. As vias de sinalização desencadeadas em T. cruzi pela adesão à ECM serão estudadas medindo-se ao longo do tempo a produção de NO, cGMP, cAMP e a atividade de quinases (AMPK, PKA, MAPK, GSK-3 e PIK3) na presença de inibidores de NO sintase, fosfodiesterase e quinases. O possível papel de AMPK no metabolismo de carboidratos será verificado pelo transporte celular de glicose. Em cada caso, será analisado o perfil geral das modificações das proteínas por S-nitrosilação e fosforilação. As ECMs de três linhagens celulares previamente selecionadas por sua capacidade diferencial de adesão ou infecção por T. cruzi serão estudadas por análise proteômica quanto à sua composição, assim como será examinada a ativação ou inibição das vias de sinalização por elas desencadeadas no parasita. Para confirmar a função biológica de alguns dados do proteoma/S-nitrosilproteoma obtidos no projeto anterior, pretende-se continuar os estudos com a paraflagellar rod (PAR), proteína flagelar, que tem 3 cisteínas modificadas por S-nitrosilação, além de outras descritas na literatura. Serão estudados os níveis de síntese proteica dessa proteína e determinada a cinética das modificações pós-traducionais (S-nitrosilação, sumoilação e ubiquitinação) produzidas pela incubação com ECMs. Pretende-se com este projeto ampliar o conhecimento da sinalização envolvida na adesão de formas tripomastigotas a ECMs, uma das etapas determinantes na disseminação do T. cruzi no hospedeiro. (AU)