Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da produção de aflatoxinas em uma cultivar de amendoim com e sem estresse hídrico na fase de pré colheita

Processo: 19/15215-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Marta Hiromi Taniwaki
Beneficiário:Rafaela Aparecida Tronchini
Instituição-sede: Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/00824-4 - Estresse hídrico na pré-colheita do amendoim: influência nos compostos bioativos, infecção fúngica, produção de aflatoxinas e aplicação de modelo preditivo para aflatoxinas., AP.R
Assunto(s):Aflatoxinas   Amendoim   Micotoxinas

Resumo

O amendoim é a quinta maior cultura oleaginosa do mundo. A presença do fungo e aflatoxinas no amendoim afeta tanto a segurança do consumidor como a economia. Dentre os fatores que podem favorecer a produção de aflatoxinas estão: danos causados por insetos e estresse hídrico na etapa de pré-colheita, secagem lenta na pós-colheita e uma estocagem precária. Os pontos críticos para formação de aflatoxinas nas etapas pós-colheita podem ser facilmente controlados com a secagem rápida e uma estocagem com controle de temperatura e umidade. Na etapa de pré-colheita, a produção de aflatoxinas pode ser minimizada garantindo condições ideais no solo. O estresse hídrico, além de favorecer a infecção por fungos e consequente produção de aflatoxinas, pode também alterar a composição de compostos bioativos do amendoim. Nestas condições, o presente projeto tem como objetivos: (i) Analisar a influência do estresse hídrico durante a pré-colheita do amendoim quanto a infecção fúngica e produção de aflatoxinas. Para isto uma cultivar de amendoim será plantada em um campo experimental, em condições naturais com e sem estresse hídrico. As condições climáticas (temperatura, umidade relativa, índice pluviométrico) serão monitoradas diariamente, a fim de verificar a influência destas condições na produção de aflatoxinas.