Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do envolvimento de MHC i, TLR 2 e TLR 4 na plasticidade sináptica e recuperação funcional após esmagamento de raízes ventrais em camundongos

Processo: 19/02714-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Alexandre Leite Rodrigues de Oliveira
Beneficiário:Luciana Politti Cartarozzi
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/05006-0 - Recuperação sensório-motora após axotomia de raízes medulares: emprego de diferentes abordagens experimentais, AP.TEM
Assunto(s):Medula espinhal   Axotomia   Neurociências

Resumo

Lesões nervosas periféricas são seguidas por aumento na expressão de moléculas dosistema imune, como por exemplo o complexo de histocompatibilidade principal de classe I(MHC-I). O aumento na expressão de MHC-I na medula espinal está relacionadodiretamente com o processo de plasticidade sináptica, modulação da reatividade de célulasda glia e com a recuperação motora funcional. Animais knockout (KO) para a subunidade²2m do MHC-I tem maior redução na densidade sináptica e prejuízo na regeneração axonalapós lesão periférica. Vale destacar que receptores semelhantes a imunoglobulinasemparelhadas (PIR-A e B), e o receptor semelhante a imunoglobulina de célula Killer (KIR),especificamente o KIR3DL2, compartilham domínios com MHC-I. Ambos possuem caráterinibitório e têm sido propostos como principais agentes inibidores do crescimento axonal póslesão nervosa periférica. De maneira semelhante, os receptores do tipo Toll (TLR 2 e 4), sãoativados na medula espinal após lesão, relacionando-se com estabilidade sináptica,mediada por TLR 4 e eliminação sináptica mediada por TLR 2. O presente projeto visa,portanto, avaliar o processo de plasticidade sináptica e recuperação motora funcional apósaxotomia de raízes medulares, utilizando animais knockouts para TLR 2, TLR 4 e ²2m,correlacionando a alterações morfológicas, reatividade glial e expressão de proteínasrelacionadas a vias de sinalização envolvendo componentes do sistema imune.