Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de um procedimento verde, rápido e barato para a extração de compostos fixos e voláteis de inflorescências, folhas e galhos de Humulus lupulus l. (Cannabaceae)

Processo: 20/00484-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Cristiano Soleo de Funari
Beneficiário:Leonardo de Oliveira Sartori
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/06216-6 - Desenvolvimento de metodologias analíticas verdes na busca por compostos orgânicos de alto valor agregado em resíduos agrícolas, AP.JP
Assunto(s):Química de produtos naturais   Química verde   Humulus lupulus   Métodos de análise   Cromatografia   Cromatografia líquida de alta eficiência   Espectrometria de massas

Resumo

A indústria cervejeira brasileira movimentou 77 bilhões de reais no último ano, valor equivalente a 2% do PIB. Pode-se dizer que a disponibilidade e a qualidade de lúpulo são o gargalo da indústria cervejeira nacional, que importa aproximadamente 2,4 mil toneladas por ano de inflorescências de lúpulo (parte da planta utilizada em cervejaria), ao custo de cerca de 139 milhões de reais. Em geral, o lúpulo que chega ao Brasil é considerado de baixa qualidade, já desprovido de parte dos compostos responsáveis por suas propriedades edulcorantes e antioxidantes (alfa e beta ácidos, compostos aromáticos e xanthohumol). Isto vem estimulando pesquisas voltadas à adaptação desta trepadeira ao Brasil, incluindo a São Paulo. A FCA/UNESP abriga duas destas inciativas, necessitando de suporte para mensurar a qualidade do lúpulo produzido a partir destes compostos edulcorantes. Atualmente, não há um método de extração que extraia os compostos fixos e voláteis de inflorescências de lúpulo simultaneamente, e os métodos analíticos preconizados pelas associações internacionais ligadas à indústria cervejeira empregam solventes e técnicas poluentes. Ademais, a iminente elevação das escalas do cultivo de lúpulo no Brasil a pergunta do que se fazer com os subprodutos da cultura, como as folhas e galhos da planta. O presente trabalho objetiva desenvolver um procedimento analítico eficiente, barato e de baixo impacto ambiental, quando comparado a métodos de referência, para a extração simultânea de compostos fixos e voláteis responsáveis pelas propriedades edulcorantes do lúpulo produzido na FCA/UNESP, seguida de suas quantificações. Objetiva, ainda, comparar os perfis cromatográficos das partes da planta que não são comercializadas, como suas folhas e caules (então, podendo ser considerados subprodutos ou resíduos), com o das inflorescências (produto), por cromatografia líquida de ultra alta eficiência acoplada a espectrometrias de massas e de UV/Vis e por cromatografia a gás acoplada a espectrometria de massas. (AU)