Busca avançada
Ano de início
Entree

Sistemas nanostruturados bioinspirados e biomiméticos para administração via nasal: uma nova perspectiva para a terapia de glioblastoma

Processo: 19/25645-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2020
Vigência (Término): 30 de setembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacotecnia
Pesquisador responsável:Valtencir Zucolotto
Beneficiário:Natália Noronha Ferreira Naddeo
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Glioblastoma   Nanotecnologia   Nanotecnologia farmacêutica

Resumo

Glioblastomas (GBM) representam 77% dos tumores malignos que ocorrem no sistema nervoso central (SNC) e, atualmente, apesar de todos os avanços em quimioterapia, radioterapia e neurocirurgia, ainda possui prognóstico bastante limitado. A existência de barreiras fisiológicas, especialmente a barreira hematoencefálica (BHE), representa o principal obstáculo que limita concentrações adequadas de diferentes fármacos projetados para sua terapia. A temozolomida (TMZ) é o primeiro tratamento escolhido devido à sua atividade antineoplásica eficaz contra GBM. No entanto, embora o medicamento seja capaz de atravessar a BHE, sua meia-vida limitada requer altas doses administradas por via oral para garantir níveis terapêuticos no cérebro, o que, por sua vez, causa vários efeitos colaterais. Devido às vantagens anatômicas, uma estratégia promissora consiste na utilização da via nasal de administração, que evita a passagem pela BHE. No entanto, a entrega via nasal não traz apenas méritos, mas também desafios. A nanotecnologia integra essa possibilidade, fornecendo ferramentas tecnológicas e trazendo estratégias inovadoras capazes de superar as principais limitações biotecnológicas. As plataformas nanoestruturadas podem fornecer a entrega seletiva de medicamentos, aumentando a permeabilidade e facilitando a internalização do medicamento, promovendo a liberação controlada para o alvo intracelular. Além disso, uma nova estratégia biomimética e bioinspirada, capaz de fornecer benefícios terapêuticos, inclui a funcionalização de nanosistemas aplicando revestimento com membranas celulares. Tentando estimular o desenvolvimento de novas abordagens terapêuticas que podem melhorar os resultados dos pacientes, hipotetizamos que o desenvolvimento de um sistema de entrega nanoestruturado multifuncional baseado em poli(ácido lático-co-ácido glicólico) (PLGA) e quitosana para encapsulação da TMZ, possa ser funcionalizado usando a membrana celular de células de GBM. O objetivo é melhorar a resposta biológica, abrindo uma nova oportunidade terapêutica sem precedentes para o tratamento GBM.