Busca avançada
Ano de início
Entree


Ácidos graxos de cadeia curta, produtos do metabolismo da microbiota intestinal, protegem da lesão renal aguda.

Texto completo
Autor(es):
Vinicius de Andrade Oliveira
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Ciências Biomédicas
Data de defesa:
Membros da banca:
Niels Olsen Saraiva Câmara; José Carlos Farias Alves Filho; Mirian Aparecida Boim; William Tadeu Lara Festuccia; Clarice Kazue Fujihara
Orientador: Niels Olsen Saraiva Câmara
Resumo

Os ácidos graxos de cadeia curta (AGCC) são produzidos pela microbiota intestinal e possuem papéis anti-inflamatórios e ação inibitória sobre histona deacetilases. A lesão renal aguda (LRA) é caracterizada por uma inflamação renal que influencia a função do rim. Este projeto avaliou se o tratamento com os AGCC impactaria nos desfechos inflamatórios da LRA em camundongos. Foi observado que o tratamento com AGCC, protege da LRA. Esta melhora foi associada a uma menor inflamação e menor taxa de apoptose. Além disso, o tratamento com acetato diminuiu a atividade de histona deacetilase. Administrando bactérias produtoras de acetato, também foi possível observar uma proteção da LRA, junto de uma menor inflamação sistêmica. Esta proteção do AGCC na LRA foi também observada em modelo de LRA secundária à sepse In vitro, o tratamento com AGCC modularam tanto células imunes como células renais sob estímulos inflamatórios e de hipóxia. AGCC modulam processos inflamatórios no rim via ações epigenéticas ou não, podendo ser uma promissora ferramenta na proteção da LRA. (AU)

Processo FAPESP: 11/01016-2 - Ácidos graxos de cadeia curta (SCFA) como moduladores da resposta inflamatória na lesão renal aguda e crônica experimental
Beneficiário:Vinicius de Andrade Oliveira
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado