Busca avançada
Ano de início
Entree


Papel da obesidade na rejeição de transplantes alogênicos.

Texto completo
Autor(es):
Marina Burgos da Silva
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Ciências Biomédicas
Data de defesa:
Membros da banca:
Niels Olsen Saraiva Câmara; Regiane Aparecida Cavinato; Daniella Marcia Bahia Kerbauy; Fernanda Ortis; Nancy Starobinas
Orientador: Niels Olsen Saraiva Câmara
Resumo

Além de modular o metabolismo energético, o tecido adiposo constitui um regulador endócrino, produzindo fatores como a adiponectina (APN), adipocina pouco expressa na obesidade, com propriedades imunoreguladoras. Neste trabalho investigamos o papel da obesidade e APN em modelos murinho de transplante de pele e doença do enxerto-versus-hospedeiro (GvHD), na obesidade induzida por dieta hiperlipídica (Ob) e animais knockout (KO) para APN. Em suma, receptores Ob e APN KO apresentaram rejeição acelerada de enxerto de pele, associado inflamação do tipo Th1 e Th17. A obesidade também levou a pior GvHD, associado a maior inflamação no fígado, pulmão, intestino junto a dano hepático e intestinal, enquanto a manutenção de dieta HF após o transplante preveniu parciamente este dano. Estudos in vitro corroboraram estes resultados, mostrando maior ativação dendrítica e linfocitária em meio mimetizando a obesidade. Desta forma, este estudo sugere que a obesidade e redução de APN levam a maior rejeição de transplantes sugerindo adiante um papel importante à dieta neste processo. (AU)

Processo FAPESP: 12/23347-3 - Análise do papel da adiponectina e da obesidade na rejeição de transplantes alogênicos
Beneficiário:Marina Burgos da Silva
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado