Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação clínica da adição de antifúngicos a reembasador resiliente temporário no tratamento da estomatite protética

Processo: 17/07314-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2017 - 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Karin Hermana Neppelenbroek
Beneficiário:Karin Hermana Neppelenbroek
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Pesq. associados:Ana Lucia Pompeia Fraga de Almeida ; César Augusto Galvão Arrais ; Simone Soares ; Vanessa Migliorini Urban ; Vanessa Soares Lara ; Vinicíus Carvalho Porto
Assunto(s):Próteses e implantes  Reembasadores de prótese  Estomatite sob prótese  Anti-infecciosos  Nistatina  Clorexidina 

Resumo

A incorporação de agentes antimicrobianos em reembasadores resilientes temporários para próteses removíveis tem demonstrado ser efetiva e viável em estudos in vitro e in vivo para o tratamento da estomatite protética. Essa abordagem terapêutica tem a vantagem de romper o ciclo de reinfecção da mucosa de suporte via prótese, atuando sobre os mesmos por meio dos fármacos incorporados, que são liberados gradativamente ao longo da vida útil desses materiais. Foi previamente demostrado que, em até 14 dias, a nistatina e o diacetato de clorexidina incorporados a um reembasador temporário (Trusoft) foram os fármacos que apresentaram as mínimas concentrações inibitórias (MCIs) para biofilme de C. albicans. Além disso, foi observado que a adição das MCIs desses fármacos não resultou em efeitos deletérios sobre diversas propriedades estruturais, físicas e mecânicas do material. Apesar dessas vantagens, não há estudos com pacientes sobre eficácia da incorporação das MCIs de antifúngicos em reembasador temporário como método de tratamento para estomatite protética. Assim, o presente projeto irá avaliar clinicamente a efetividade de um material resiliente para reembasamento temporário de próteses removíveis (Trusoft) modificado pelas MCIs de nistatina e clorexidina no tratamento da estomatite protética. Sessenta reais pacientes portadores de estomatite protética e usuários de pelo menos uma prótese total superior (PT) serão distribuídos em quatro grupos de acordo com o tratamento proposto (n=15): Controle positivo: medicação antifúngica tópica convencional (nistatina suspensão oral); Controle Geral: reembasamento da PT superior com Trusoft; Grupo NIS: reembasamento da PT superior com Trusoft contendo a MCI de nistatina e Grupo CLX: reembasamento da PT superior com Trusoft contendo a MCI de diacetato de clorexidina. Para a avaliação da efetividade dos tratamentos serão realizados exames citológicos por esfregaço e culturas micológicas quantitativas da superfície interna da PT superior e mucosa palatina de suporte de todos os pacientes antes e ao final do tratamento e 15 e 30 dias decorridos de sua suspensão. Para a avaliação clínica, serão obtidas fotografias da mucosa palatina dos pacientes em cada consulta. Os dados obtidos serão analisados estatisticamente (±=5%). (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CAMPOS SUGIO, CAROLINA YOSHI; MAIA NEVES GARCIA, AMANDA APARECIDA; ALBACH, THAIS; MORAES, GUSTAVO SIMAO; BONFANTE, ESTEVAM AUGUSTO; URBAN, VANESSA MIGLIORINI; NEPPELENBROEK, KARIN HERMANA. Candida-Associated Denture Stomatitis and Murine Models: What Is the Importance and Scientific Evidence?. JOURNAL OF FUNGI, v. 6, n. 2 JUN 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.