Busca avançada
Ano de início
Entree

Função das nucleases MRE11, DNA2 e EXO1 na ressecção do DNA terminal e o reparo das quebras de dupla fita em Trypanosoma brucei

Processo: 19/01895-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Maria Carolina Quartim Barbosa Elias Sabbaga
Beneficiário:Ricardo Obonaga Gómez
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07467-1 - CeTICS - Centro de Toxinas, Imuno-Resposta e Sinalização Celular, AP.CEPID
Assunto(s):Reparo do DNA   Instabilidade genômica

Resumo

As quebras de fita dupla do DNA (DSBs) são uma das formas mais tóxicas do dano no DNA. Estas podem surgir acidentalmente durante o metabolismo normal ou após a exposição a agentes que lesionam o DNA. A falha em repará-los pode resultar em instabilidade genômica, uma característica das células cancerígenas. Nos eucariotos, as DSBs são reparadas por recombinação homóloga (HR) e ligação de extremidades não homóloga (NHEJ). Na HR e ligação das extremidades mediada por microhomologia (MMEJ) (um tipo de NHEJ independente do heterodímero Ku), as cadeias de DNA 5´ das DSBs são degradadas nucleoliticamente através de um processo denominado ressecção. Este processo, que gera DNA de simples fita de extremidades 3´ com diferentes longitudes de homologia, é crítico para a escolha da via de reparo por HR ou MMEJ e sinalização de checkpoint. Na maioria dos eucariotos, o reparo por HR e MMEJ é conservado, incluindo Trypanosoma brucei, o parasita responsável da tripanossomíase humana africana, uma doença que é fatal se não tratada. Neste parasita a ressecção não está definida. Deste modo, nós pretendemos caracterizar a função das principais nucleases na ressecção e reparo das DSBs. Para isto, as nucleases MRE11, DNA2 e Exo1 serão silenciadas em diferentes configurações e tanto a ressecção como o reparo das DSBs geradas pelo tratamento com radiação ionizante ou pela atividade da enzima I-Scel serão avaliadas. Além disto, parâmetros como localização nuclear usando microscopia de fluorescência e ligação a cromatina; longitude e taxa de ressecção usando a análise de molécula única de fitas ressectadas e qPCR e; funções destas nucleases na escolha do reparo (HR ou MMEJ) mediante um sistema reporter, serão avaliadas. Além disto, vamos determinar se existem diferenças na participação destas nucleases na ressecção e reparo de DSBs dependente do ciclo celular. Finalmente, nós vamos caracterizar a função destas nucleases na ressecção de DSBs num locus subtelomérico. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.