Busca avançada
Ano de início
Entree

Glicosilação em toxinas de serpentes do gênero Bothrops: impacto na complexidade e variabilidade dos proteomas de seus venenos

Processo: 16/16935-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2016
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Solange Maria de Toledo Serrano
Beneficiário:Débora Andrade Silva
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/07467-1 - CeTICS - Centro de Toxinas, Imuno-Resposta e Sinalização Celular, AP.CEPID
Bolsa(s) vinculada(s):18/08794-0 - Análise da microheterogeneidade da N- e O-glicosilação de toxinas de serpentes do gênero Bothrops: identificação de glicopeptídeos intactos, BE.EP.DR
Assunto(s):Espectrometria de massas   Bothrops   Proteômica   Crotalus

Resumo

Venenos de serpentes são importantes fluidos biológicos, utilizados para predação e defesa, que surgiram com o desenvolvimento da ordem Squamata e que posteriormente evoluíram de maneira variável dentro do grupo das serpentes avançadas. A variabilidade de suas composições pode ser observada em todos os níveis taxonômicos, entretanto, os fatores que dirigiram e selecionaram tais características ainda são muito discutidos. A hipótese do recrutamento da expressão de genes envolvidos em funções fisiológicas e da neofuncionalização destes no veneno é corroborada por análises transcriptômicas comparativas entre a glândula de veneno e outros órgãos da serpente. Todavia, estas análises são baseadas apenas na comparação das estruturas primárias das proteínas e de seus genes parálogos, não considerando as modificações pós-traducionais presentes nas mesmas. Neste contexto, a glicosilação de toxinas é muito abundante em venenos de serpentes viperídeas e estudos iniciais de nosso grupo, sobre seu papel nos eventos de especiação dentro do gênero Bothrops, sugerem sua conservação durante a evolução, em paralelo com outros marcadores moleculares que determinam sua classificação filogenética. Entretanto, faltam análises mais precisas sobre a distribuição e ocorrência dos sítios de N-glicosilação e O-glicosilação em glicoproteínas de venenos de serpentes. Desta forma, este projeto visa identificar por espectrometria de massas os sítios de N- e O-glicosilação em glicoproteínas dos venenos de B. jararaca, B. alcatraz, B. insularis, B. fonsecai, B. cotiara, B. jararacussu e B. moojeni, para analisar mais adequadamente a glicosilação em toxinas de veneno e o seu papel no direcionamento destas a seus alvos, e tentar traçar um paralelo com a classificação filogenética destas espécies. Adicionalmente são propostos mais dois objetivos: i) avaliar o papel do ácido siálico nas glicoproteínas do veneno de B. jararaca em seus efeitos patológicos; ii) avaliar o papel da glicosilação em substratos da metaloproteinase botropasina, do veneno da B. jararaca, sobre sua especificidade primária.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DE FARIAS, IASMIM BAPTISTA; DE MORAIS-ZANI, KAREN; SERINO-SILVA, CAROLINE; SANT'ANNA, SAVIO S.; DA ROCHA, MARISA M. T.; GREGO, KATHLEEN F.; ANDRADE-SILVA, DEBORA; SERRANO, SOLANGE M. T.; TANAKA-AZEVEDO, ANITA M. Functional and proteomic comparison of Bothrops jararaca venom from captive specimens and the Brazilian Bothropic Reference Venom. JOURNAL OF PROTEOMICS, v. 174, p. 36-46, MAR 1 2018. Citações Web of Science: 3.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.