Busca avançada
Ano de início
Entree

RNAs não codificantes envolvidos com a gênese e a progressão do melanoma

Processo: 18/20775-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2019 - 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Miriam Galvonas Jasiulionis
Beneficiário:Miriam Galvonas Jasiulionis
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias cutâneas  Melanoma  Epigênese genética  MicroRNAs  RNA longo não codificante  Progressão tumoral  Marcadores prognósticos 

Resumo

Melanomas são tumores que podem frequentemente evoluir para sua forma mais agressiva, metastática, sendo responsáveis por mais de 80% das mortes causadas por todos os tipos de câncer da pele. Considerando que, se não diagnosticado e tratado precocemente pode progredir rapidamente e levar o paciente ao óbito, a busca por biomarcadores tumorais tanto em amostras de tumor quanto em fluidos biológicos que possam conduzir a tratamentos mais adequados é de extrema relevância. Estima-se que cerca de 90% do genoma seja transcrito em RNAs não codificantes (ncRNAs), que incluem os micro RNAs (miRNAs) e ncRNAs longos (lncRNAs). Variações na expressão e/ou sequência destes transcritos estão entre as alterações moleculares observadas em tumores, como o melanoma. O papel dos lncRNAs já foi relacionado a processos biológicos como proliferação, diferenciação e migração celular. Além disso, estudos recentes demonstram que lncRNAs podem regular maquinaria epigenética, splicing e estabilidade de mRNAs, além de recrutar fatores de transcrição. miRNAs têm função reguladora e controlam diversos processos biológicos, já que se ligam a RNAs mensageiros (mRNA) alvos e impedem sua tradução. Desta forma, o aumento ou diminuição da expressão de ncRNAs contribui com a quebra da homeostase celular e favorece o desenvolvimento de diversas doenças, inclusive do câncer. Além de seu papel na biologia do tumor, estudos têm demonstrado o potencial uso de ncRNAs como marcadores de diagnóstico, predição de resposta a terapias, e prognóstico para monitoramento da progressão da doença. Neste contexto, com base em modelo celular linear de progressão do melanoma, o objetivo desse trabalho é investigar e identificar ncRNAs diferencialmente expressos durante a progressão do melanoma, elucidar seu papel na biologia desta doença e avaliar seu potencial de predizer a evolução para metástases e, com isso, auxiliar na conduta terapêutica. Os dados obtidos inicialmente em modelo celular servirão de base para análises em linhagens celulares de melanoma humano e exossomos isolados de plasma de pacientes com melanoma primário com e sem metástases. Além disso, análises de dados públicos de amostras humanas de melanoma relativas à expressão dos ncRNAs identificados e sua correlação com sobrevida serão realizadas. Em conjunto, este estudo poderá contribuir com o desenvolvimento de novas formas de prognóstico, diagnóstico e terapia do melanoma, além do entendimento do papel de ncRNAs na gênese e progressão do melanoma. (AU)